Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10261/155452
Share/Export:
logo share SHARE logo core CORE BASE
Visualizar otros formatos: MARC | Dublin Core | RDF | ORE | MODS | METS | DIDL | DATACITE
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMoyano Estrada, Eduardo-
dc.contributor.authorOrtega, A. C.-
dc.date.accessioned2017-09-21T11:40:39Z-
dc.date.available2017-09-21T11:40:39Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier.citationRevista de Economia e Sociologia Rural 52: 687- 704 (2014)-
dc.identifier.issn0103-2003-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10261/155452-
dc.description.abstractEste artigo visa analisar as principais mudanças introduzidas pela Reforma da Política Agrária Comum (PAC) da União Europeia, aprovada no final de 2013, pelo Parlamento Europeu, para o período de 2014 a 2020. De acordo com o texto aprovado, a PAC terá um orçamento menor que o dos sete anos anteriores e três países a mais (agora, depois do ingresso da Bulgária, Romênia e Croácia, são 28 países membros). Ademais, de um orçamento 12% menor em valores nominais, há que se observar uma mudança significativa na orientação geral da política: de uma prioridade setorial para a territorial. Na verdade, nossa hipótese é de que estamos diante de uma reforma que representa um trânsito do protagonismo de uma política de tipo setorial, dirigida à gestão da dimensão produtiva do setor agrário com as ajudas diretas, para a qual se dirigem as críticas mais contundentes, a uma outra, territorial, orientada à gestão de territórios rurais, que busca viabilizar processos de desenvolvimento rural e remunerar os agricultores pela produção de bens públicos. Portanto, além de avaliar a importância para a Europa em ter uma PAC, ainda que não satisfaça mais a maioria dos agricultores, mas que atenda, em parte, às demandas de outros segmentos sociais, e mesmo da pressão internacional, pretende-se analisar os elementos da reforma numa perspectiva que vai além dos aspectos pontuais, ou seja, pretende-se traçar as linhas por onde se produz o trânsito de um política menos orientada ao setor e mais orientada ao território-
dc.publisherSociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural-
dc.relation.isversionofPublisher's version-
dc.rightsopenAccess-
dc.subjectdesenvolvimento rural-
dc.subjectagricultura europeia-
dc.subjectReforma da PAC-
dc.subjectdesenvolvimento territorial.-
dc.titleA reforma da PAC para o período 2014-2020: Uma aposta no desenvolvimento territorial-
dc.typeartículo-
dc.identifier.doi10.1590/S0103-20032014000400004-
dc.date.updated2017-09-21T11:40:39Z-
dc.description.versionPeer Reviewed-
dc.language.rfc3066por-
dc.relation.csic-
item.grantfulltextopen-
item.cerifentitytypePublications-
item.openairetypeartículo-
item.openairecristypehttp://purl.org/coar/resource_type/c_18cf-
item.fulltextWith Fulltext-
Appears in Collections:(IESA) Artículos
Files in This Item:
File Description SizeFormat
A Reforma da PAC para o Período 2014-2020.pdf713,63 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
Show simple item record

SCOPUSTM   
Citations

1
checked on Jan 23, 2022

Page view(s)

337
checked on Jan 23, 2022

Download(s)

176
checked on Jan 23, 2022

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Dimensions


WARNING: Items in Digital.CSIC are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.